>>>Clique aqui para conhecer a curiosa história de um lindo casamento celebrado por José Scussel.

Nosso casamento celebrado por José Scussel

Por Juliana Canavese

Quando decidimos fazer a nossa cerimônia de casamento, o José pediu pra gente providenciar duas conchas para fazer a benção do elemento água. Tínhamos um pouco de dúvida de como deveriam ser as conchas, mas o José nos tranquilizou dizendo que deveriam ser simples e que acharíamos nas lojinhas do centro de Curitiba.

Nas conchas levaríamos as alianças e depois receberíamos a benção da água.

Assim que as encontramos nas lojinhas do centro, demos um trato nelas já que estavam muito simples pra carregar as alianças…

Quando José as viu no dia e na hora da cerimônia, ele não fez nenhuma expressão que nos fizesse pensar que havia algo “errado”. Apenas acolheu nossa escolha e seguiu a benção…

Ficamos surpresos como ele conseguiu segurar as conchas e colocar água, tudo ao mesmo tempo e sem muita complicação. Molhou o galho de alecrim em cada uma e fez o que tinha proposto. Foi lindo… Do jeito que sempre sonhamos.

José ficou na festa, curtiu com a gente, e nunca falou nada sobre as conchas.

Mas eis que um dia, nossa ficha caiu…

Percebemos que a expectativa dele com certeza era outra. Mas nossa emoção de casar e fazer tudo do nosso jeitinho era tanta que não tiramos a dúvida no momento e seguimos o baile com a orientação: “Duas conchas simples que irão encontrar nas lojinhas do Centro”.

Depois, trocando ideia com a Erika, chegamos à conclusão que, de fato, a expectativa dele era outra… Mas em nenhum momento José nos criticou pela nossa forma de resolver.

Hoje a gente ri quando olha pra isso porque é tão claro que não era beeeem esse tipo de concha que ele falava

Então, às vezes penso: Onde estávamos com a cabeça?

José com as “conchas”
Nossa benção da água foi maravilhosa